CAPÍTULO XXVIII
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS
POR UM SUICIDA
Item 71
Prefácio. Jamais tem o homem o direito de dispor da sua vida, porquanto só a Deus cabe retirá-lo do cativeiro da Terra, quando o julgue oportuno. Todavia, a justiça divina pode abrandar-lhe os rigores, de acordo com as circunstâncias, reservando, porém, toda a severidade para com aquele que se quis subtrair às provas da vida. O suicida é qual prisioneiro que se evade da prisão, antes de cumprida a pena; quando preso de novo, é mais severamente tratado. O mesmo se dá com o suicida que julga escapar às misérias do presente e mergulha em desgraças maiores. (Cap. V, n° 14 e seguintes.)
Parte do conjunto de cinco livros que compõem a Codificação Espírita
O evangelho segundo o espiritismo contém a essência do ensino moral de Jesus e serve de abrigo para os adeptos de todas as religiões
Federação Espírita Brasileira
USE SP
USE araraquara